Ribeirinho passa em Medicina na Uepa e emociona com relato - Folha de Portel

Notícias

PagSeguro

domingo, 27 de janeiro de 2019

Ribeirinho passa em Medicina na Uepa e emociona com relato

O ribeirinho Marcelo Epifane emocionou até mesmo quem não o conhecia, ao falar sobre depressão e todos os desafios que passou até ser aprovado em um dos cursos mais concorridos da Universidade do Estado do Pará (UEPA), o de Medicina. Confira o relato postado originalmente no facebook de Marcelo:

Você possui todas as potencialidades. Vc é capaz das ações mais sublimes até as mais horripilantes. Acredite em vc! Como ilustração, quero contar um pouco da minha história recente. Durante o terceiro ano do ensino médio, em 2014, mais precisamente no final do primeiro semestre, eu sucumbi à depressão, com efeito, parei de estudar e acabei perdendo o ano letivo, simplesmente por não ter ânimo para sair de casa. Exatamente isso: EU NÃO SAIA DE CASA! Não via e nem falava com ninguém que não fosse pertencente ao meu seio familiar. E mantive-me nessa situação pelo próximo ano, isto é, também não voltei a estudar em 2015. Nesse ano, logo no início, soube que todos meus amigos se formaram e grande parte deles haviam passado no vestibular, ao passo que eu estava alí interrompendo uma caminhada que até então me levava à boas projeções. Isso foi extremamente difícil, pois eu não imaginava aquilo nem nos meus piores pesadelos. Nesse momento tive certeza que eu não conseguiria vencê-la sozinho. Como uma tentativa de escape da realidade, tentei suicídio, pois acreditava que eu não seria nada além daquilo; um cara com medo de se olhar no espelho, com medo de enfrentar a vida da porta pra fora. Bem sabemos que esse tipo de pessoa não sobrevive, ante uma sociedade que te impõe a busca constante por resultados profissionais apreciáveis, mesmo que tua via emocinal esteja decadente. Mas algo me impediu e trouxe um sopro de esperança e confortou ao meu coração e me fez tentar renascer. Para ampliar o meu sentimento de culpa, eu ouvia muita gente falar da minha condição( meus pais me contavam) sempre me criticando, mas ninguém foi conversar comigo para entender o que estava acontecendo, apenas minha família enfrentou isso ao meu lado sempre compreensiva e amável. E essa relação é de fato extremamente importante! Além disso, não que eu defina isso como uma regra que justifique os motivos que conduza vc a ter essa patologia, muito menos a forma de curar-se dela, além da abordagem farmacológica é claro, mas eu só comecei a dar os primeiros passos para longe daquela situação quando passei a ler a palavra de Deus, foi um momento em que eu amadureci muito espiritualmente. E foi do amor de Cristo e do apoio da minha família que nasceu em mim a força para iniciar um tratamento, o qual foi extremamente difícil( e continua sendo). Mas foi fundamental para eu voltar à minha vida, embora tudo aquilo tenha me modificado profundamente. Em seguida, no ano de 2016 ,eu voltei aos estudos, conclui meu ensino médio,enfrentando todos meus demônios. Em 2017 Passei em Química e Letras. Já em 2018 foi Direito, fisioterapia, Psicologia e Odontologia e ,agora, Medicina. Como foi supracitado,há 3 anos eu pensei em tirar minha vida, agora, estou dando o passo Inicial em um caminho que me levará à salvar vidas. Mas, para uma alma caridosa, não é necessário ter um diploma para realizar tal feito, basta ter empatia pelo próximo, por aquele garoto, aquela garota que está depressivo, reduza o amargo da vida dele ou dela. Seja gentil! Entenda-os! Ajude-os! Acredite, eu só estou aqui por que alguém me ajudou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PagSeguro